quarta-feira, maio 10, 2006

Paixão & Design

Respondendo a acusações anónimas de ser obsessiva, paranóica e doente: sim, sou obsessiva. Sempre fui. Que é o amor senão obsessão? E o que é o design (a comunicação) senão tentar chegar ao outro, interceptá-lo, procurar uma reacção? Para mim as duas são indissociáveis. Para mim design é amor, amor é design. Entendo o amor e o design, como meios e não como fins em si mesmos. Neste diário servem-se mutuamente para alcançar outro fim.

Para tentar chegar ao outro (a ti, Agostinho) arranjei uma forma bizarra de comunicar como se tivesse outra vez 13 anos. Pensar num post diferente todos os dias tem sido um entusiasmo, fazer um diário que é para o outro. Este diário é para o Agostinho. Se calhar isto assusta. Toda a comunicação tem público mesmo quando não nos apercebemos disso, estamos na intenção de alguém.

Depois dizem-me também uma coisa que é bem portuguesa: "arranja uma vida". Estranha expressão esta. Arranjar uma vida é negar a que tenho, é não gostar do que sou. Eu não fiz este diário porque não tenho uma vida. O amor é uma coisa, a vida é outra.

Os insultos não me preocupam mas esclareço: este é o espaço em que não procuro nada em troca. Este é um espaço de comunicação, de intercepção. Este é um espaço de amor e de design: de acção, percepção e afecção. Porque tento criar um ritmo de trabalho de um post diário, utilizando diferentes meios de acção (desde as cartas de amor, às imagens, etc...); tento estruturar uma narrativa; e finalmente espero, que tu, Agostinho, sejas o destinatário final de tudo o que faço. Este diário é para ti. Nunca sabemos a forma como afectamos o outro. Eu não sei o que pensas disto tudo. Já te disse. Já te perguntei. Provavelmente também me achas estranha, wwoooow... Mas, também estás à vontade para dizer que não queres nada disto. Para nunca mais consultares o diário. És inteiramente livre para o fazer. São todos. Se bem que, perdendo o meu principal destinatário, não faz sentido a comunicação.

Este diário é uma forma de (r)escrever a minha vida. E porque viver é uma coisa, amar é outra, este diário é o que é, e pronto!
"Arranja uma vida", mas isso eu já tenho, ou não?
"PERCEBES?!"

30 Comments:

Anonymous agostinho said...

perceber?! sim percebi.

21:25  
Blogger Lillibeth said...

Desculpa Agostinho, "PERCEBES?!" não é para ti, é parte da expressão enviada por anónimos, censurada por mim, e respondida neste post.

Tudo o resto é um esclarecimento. Ainda bem que dás sinal. Pensava que estavas chateado.(?!) Gostava de saber a tua opinião...

21:36  
Anonymous Anónimo said...

eu acho que nao tens vida. so te apaixonaste pelo agostinho porque era o nome de outro boneco dos livros. meu deus. ahahaha get a life.

21:38  
Blogger Lillibeth said...

As personagens, ou bonecos como lhe chamas, são uma metáfora para o resto da história. Sabes lá tu porque me apaixonei pelo Agostiinho... dos meus sentimentos sei eu, se me permites?

Repito: és livre de não consultar este diário. Faz um favor a ti própria/o, não percas o tempo da "tua vida" com uma coisa com a qual não concordas.

21:47  
Anonymous agostinho said...

sim sim, continua lá

21:55  
Anonymous Anónimo said...

ignora os comentarios estupidos lilli, nao merecem preocupaçao, muito menos resposta!

22:16  
Anonymous Anónimo said...

lol, mas isto é pura diversao, nao so para o agostinho como tb pra mim. ok, pode ser?

22:25  
Anonymous Anónimo said...

se bem que se eu fosse ele..... ui ui medo!

22:26  
Anonymous filipa said...

lili...
a comunicação pode não funcionar se não tiver resultados... entendes? que por mais que tenhas tentado ele (e todos os que assistimos ao teu diário) nada sabemos de ti (ok estiveste na queima do porto, és morena, estudas na esad, e + nada) isso podem perfeitamente ser todas as miudas da escola... se me permites acho que podias mostrar-te mais especial :) apesar de o bordado ter sido uma ideia genial (como é k alguém se lembra disso?!?) mas mais do que dizeres quem és e mostrares a face mostra o que te faz escrever na árvore e bordar o teu nome :)*

22:55  
Blogger Lillibeth said...

Filipa obrigada! Precisava mesmo de ouvir isto. Finalmente alguém me compreende.

Acho que o que tenho feito mostra um pouco do que sou, além de ser uma romântica introvertida, penso que posso mostrar mais (pelo menos por agora) do que um rosto ou uma morada. Vou tentar seguir os teus conselhos! Isto se o Agostinho continuar com paciência para me aturar 8-).

ps. Estive no Porto, mas não na queima.

00:04  
Anonymous Anónimo said...

fui eu que disse que eras obsessiva, paranóica e doente. fui eu que disse para arranjares uma vida.

agora numa coisa te enganas!

estás completamente enganada quando dizes " que é o amor senão obsessão?" achas que é isto o amor? amor nada tem a ver com obsessão. a obsessão é um extremo. a obsessão é doença, e o amor é tudo menos doença. o amor é saúde, se não é também saúde física é pelo menos saúde mental.

quanto a design... concordo que amor e design podem estabelecer relações muito proximas e tocarem-se muitas vezes, mas o que é que ha aqui de design? umas ilustrações fracas de um livro de ha 20 anos atrás? umas ilustraçoes que já na altura eram fracas? um lettring copiado do mesmo livro? sim, as t-shirts são peças de design, mas nem sequer é teu! fotografias a uma árvore gravada?...um coração com L+A??? é isto o design para ti? é este o tipo de design que tu fazes?

nem sequer a formatação do blog alteraste. num campo, na tua área, em que podias mexer alterar e adaptar às tuas intenções e ao que querias comunicar tu não fizeste nada!

volto a repetir, o amor não é isto! e o design também não!

mas eu reconheço o teu esforço, tens muita paciência, és persistente, tens imaginação e criatividade. só acho é que poderias usar isto a teu favor.podias usar isto de forma saudável e interessante.

mas esta também é só a minha opiniao!

01:04  
Anonymous agostinho said...

sim, estou com paciência

01:05  
Anonymous Anónimo said...

ahhh quanto à expressão bem portuguesa de "arranja uma vida" não é assim tão portuguesa... se calhar é só a tradução à letra de "get a life"!

01:13  
Anonymous br said...

he pá!!ha pessoal tao cócó!!logo agr que tavam a aparecer revelaçoes de como td começou, e havia peças do puzzle que estavam a encaixar!!quem nao gosta nao comente......respeite!!(isto daki a mais é um forum e nao um blog)
força lili :) desejo-te que td corra bem!!! agostinho......respomde la á rapariga....vá lá.....ela tem-se esforçado, ela merece.....:p

04:21  
Blogger Lillibeth said...

Estava longe de imaginar que este blog poderia levar a este tipo de discussão sobre o que é ou não o amor, ou o design. No post anterior eu não disse o que era o amor ou design. Até porque não há verdades absolutas sobre nada. Respeito as diferenças de opinião. Até acho "saudável" este tipo de discussão, desde que não se caiam naquelas verdades absolutas dos costume que acabam com frases do tipo: "get a life"!

Amor. Para mim, o amor, não tem nada de saudável, do género terapia termal. Não sei se tenho, ou não, razão. Mas a obsessão não tem que ser entendida só como doença, mas como uma vontade que nos impulsiona para a acção. O Amor terapêutico torna-nos empedernidos, repousados. Eu prefiro estar em alerta.

Design. Pelo que dás a entender, para ti Design é um objecto concreto. Uma coisa tem ou não design, é ou não Design Bom/mau. Para mim Design não são só as formas, mas ideologias. Quantas coisas há que são bem desenhadas, têm bom design, mas servem propósitos bastante questionáveis? Não defendo uma entidade promotora do design. O design pode ser um livro (mal desenhado, é certo) infantil, que para este objectivo se pode enquadrar, porque não? O design pode ser um inscrição de dois adolescentes numa árvore a caminho da escola, porque não? Se o maor é um estado adolescente! Às vezes, penso que estas autoridades reguladoras do que é ou não design não servem mais do que as afastar das pessoas de discursos reais sobre objectos que todos os dias num chegam às mãos. Para mim isto é design.

Formatar um blog? Sim podia fazer isso. Mas para quê? Não me interessa promover um design, o que eu queria não era subverter o design às minhas intenções, mas tirar partido dele. São coisas diferentes.

Não sei se tenho ou não razão. Mas é assim este projecto, porque fui eu que o fiz, tenho esse direito. Por isso sugiro blogs de contestação a este, porque não?

10:30  
Anonymous Anónimo said...

É certo que o blog e toda esta historia, se tem vindo a espalhar, e aqui, Lilli, os meus parabéns! Não há duvidas que criaste algo original e que prende a atensão dos que visitam este espaço.
Por mim, continuo a "espreitar", não só porque conheço o Agostinho, como obviamente pela curiosidade! Isso ninguem o pode negar, independentemente da opinião.
E aqui está outro ponto importante, as opiniões divergem, o que é normal. O importante é não passarmos ao ofencivo.
Agora, se me é permitido, gostaria de colocar uma questão: será realmente o AMOR, a PAIXÂO e o SENTIMENTO a razão de tudo isto?
Ou estará outro propósito por detras de todo este encantamento, e até que ponto o sentimento explicito não passa a ser um intermediario?

Se mo permites, Lillibeth, tenho fortes suspeitas da tua verdadeira identidade (ou direi antes, das vossas!). As peças deste puzzle, no minino original, começam a encaixar e eu tambem tenho as minhas fontes.

Pelo que me toca, vou continuar a acompanhar o desenrolar desta historia, até pq gostava muito de saber se as minhas suspeitas de confirmam. Isto , claro, se a tua revelação alguma vez acontecer. Eu esparo sinceramente que sim!
Se o teu intuito for realmente o AMOR, é muito nobre da tua parte!

10:31  
Anonymous Anónimo said...

Bem me pareceu...

10:35  
Blogger Lillibeth said...

Sugiro que os anónimos se identifiquem, tipo anónimo x, y, z... Para que possa responder e ainda nos consigamos entender, ou teremos um problema de design.

Ao anónimo mais perspicaz até ao momento (também tenho fortes suspeitas sobre a tua identidade) pergunto: que "outro propósito"? "intermediário" de quê?

Os últimos dias deste diário têm tido uma direcção diferente da minha intenção única e inicial, isto porque a audiência aumentou e existindo mais curiosos a espreitar-me tenho de tomar outras medidas. O meu objectivo está bem definido, mas tens de compreender que também sinto estas intromissões e tenho de lhes reagir.

11:21  
Anonymous Anónimo said...

Claro, compreendo as tuas medidas...
Desculpa desiludir-te, mas acredito que nao tenhas fortes suspeitas de quem sou, uma vez que nem nos conhecemos pessoalmente. (isto, claro, se a tua identidade corresponde ao que penso!)
O "outro proposito" a que me refiro será ao de um desenvolvimento de um projecto ou investigação. Falo nisto porque ás vezes tenho a sensação de que possa ser uma especie de "teste", nao só para o Agostinho.

Identifico-me como AnonymousXXX,
para evitar confusões e mal entendidos.

Continuo a dizer, o proposito do amor é muito nobre, e se me permites um comentário: "Quem espera sempre alcança" mas nao te esqueças tambem que "quem espera, desespera!"

AnonymousXXX

12:59  
Anonymous Anónimo said...

Relactivamente ao comentário "ou teremos um problema de design."

Julgo que não deves limitar o DESIGN à comunicação... é um grave erro.

Mas não entremos por aí.

Dá-lhe aí nas pistas pró Agosto pequenino!

AnonymousXXX

13:02  
Anonymous Xica said...

Bem...este blog perdeu a sua demanda...Lillibeth...deixaste-te corromper e já não escreves para o Agostinho,mas sim para todos os que deixam os seus comentários (principalmente para os que não gostas particularmente)...é pena...

14:30  
Anonymous Anónimo said...

tb tenho vindo a acompanhar esta história por conhecer o agostinho e confesso que tem sido envolvente. só tenho pena que não estejas a seguir a tua "intenção única e inicial". Não censures os que te censuram….ignora-os!! o propósito não era esse…
Vou continuar a espreitar

"espectadora Y"

15:10  
Anonymous MARCOS said...

BAH...estragaram isto tudo com a mania dos designs...quando tiverem a trabalhar, e perceberem que essas ideologias vão ficar só p o tempo da faculdade é k kero ver...dpois vao dizer...é pah..perferia ter visto como é k acabava a história, do k tar a aproveitar para dissertar sober a tese p entregar ao jaime sousa

18:11  
Blogger Lillibeth said...

Oh agostinho, recebeste a minha cartita hoje? Já não me ligas nenhuma! 8-(

20:10  
Anonymous agostinho said...

sim, lilllibeth,
recebi sim, era um texto muito bonito sim senhor.. gostei muito.

beijinhos,
agostinho

22:18  
Anonymous agostinho said...

marcos! és o maior és o dono da razão!!!

22:19  
Blogger supersophy said...

Olá lili (ou joana?)
permite-me dar umas opiniões, isto de alguem que ouviu falar da história e que teve que ir cuscar, como é óbvio. A ideia está gira mas, para ser sincera, está a perder a graça. Primeiro porque o teu alvo (Agostinho) não é rapaz de decifrar enigmas e depois porque tu não és muito boa a criá-los. E digo isto porque acho que deixaste a história ir longe demais. Perdeste as rédeas à situação, não controlas a informação nem que envias, nem que recebes. E digo-te desde já que se fosses uma menina a sério, manterias todas as opiniões, até aquelas que não gostas. Porque se o Agostinho tem que gramar com as tuas cartinhas, também tu, ao tornar estas coisas públicas, devias ter tomates para aceitar as consequências.
De resto acho uma história engraçada. Friso mais uma vez (e eu sei que o amor não se escolhe - se bem que tenho sérias dúvidas, quer em relação ao teu amor, quer em relação à tua escolha) que o teu Agostinho provavelmente, assim como qualquer outro homem, está à deriva e sem muita vontade de encontrar costa. Deves ter também em atenção que quanto mais arrastares mais cansaço provocas, tornando um dia, se ele aparecer, a tua revelação um fiasco. Cuidado com as espectativas que crias, Lilibeth.
Entende este comentário como uma opinião construtivae não leves a sério os outros. Interessa apenas aquilo que tu sentes. Sê verdadeira, primeiro contigo e depois...ok, com o mundo.
Vive a vida, ou arranja vida, ou arranja a tua vida sem, claro, interferir com a dos outros.
Beijos e felicidades com a tua história de amor (ou obsessão, ou lá o que é...)

01:52  
Anonymous MARCOS...o senhor da razao:P said...

porque é que dois pães da mesma farinha conseguem ser tão diferentes...oh cigas aprende com a tua mana que ela não dura sempre;)

14:58  
Anonymous ren said...

o marcos é um poeta e nos nao sabiamos!!! hehehe

15:46  
Anonymous Anónimo said...

tese para o jaime sousa? Pior! tese tese para Cristiana Pena, não há maior perda de tempo!

17:57  

Enviar um comentário

<< Home